A Páscoa é a primeira das sete festas anuais de Deus, que são agrupadas em três tempos. Deus estabeleceu estas festas e ordenou ao seu povo que as celebrasse como santas convocações em todas as épocas.

O primeiro tempo inclui a Páscoa e a Festa dos Pães Asmos, celebradas no primeiro mês segundo o calendário sagrado.

A Páscoa de Deus é no dia 14 do primeiro mês, começando no crepúsculo. A Festa dos Pães Asmos começa no dia 15 do mesmo mês.

Levítico 23:5-6

O segundo tempo inclui o Dia da Ressurreição e o Dia de Pentecostes. O terceiro tempo inclui a Festa das Trombetas, o Dia da Expiação e a Festa dos Tabernáculos, que são celebrados no sétimo mês do calendário sagrado.

A Páscoa é o Núcleo da Bíblia.

A Páscoa é o núcleo da Bíblia e tem valor enorme para aqueles que querem seguir a Deus. Através da Páscoa, Deus concede muitas bênçãos, incluindo proteção de desastres, perdão dos pecados e vida eterna.

A Origem da Páscoa

Os israelitas já foram escravizados no Egito. Por 430 anos, eles clamaram a Deus pedindo-lhe liberdade. Em 1498 a.C., Deus respondeu as orações deles, enviando o seu profeta Moisés para libertar os israelitas do Faraó. Quando o Faraó se recusou, Deus enviou pragas de sangue, rãs, piolhos, moscas, peste nos animais, úlceras, granizo, gafanhotos e trevas. Antes de enviar a décima e última praga para matar os primogênitos dos homens e animais, Deus ordenou que Moisés e os israelitas celebrassem a Páscoa para protegê-los.

“Disse o Senhor a Moisés […] Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Aos dez deste mês, cada um tomará para si um cordeiro, segundo a casa dos pais, […] guardareis até ao décimo quarto dia deste mês, e todo o ajuntamento da congregação de Israel o imolará no crepúsculo da tarde. Tomarão do sangue e o porão em ambas as ombreiras e na verga da porta, nas casas em que o comerem; […] comê-lo-eis à pressa; é a Páscoa do Senhor. […] O sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; quando eu vir o sangue, passarei por vós, e não haverá entre vós praga destruidora, quando eu ferir a terra do Egito.”

Êxodo 12:1-13

Ao por o sangue do cordeiro pascal em ambas as ombreiras e na verga da porta, os israelitas foram protegidos da praga da morte e finalmente libertados de seus anos de escravidão. Mais tarde, eles começaram sua jornada para a terra prometida, Canaã.

Os israelitas testemunharam o poder de Deus através da Páscoa. Esta foi a origem da Páscoa. E Deus fez disso um mandamento eterno que geração após geração deve guardar.

“Este dia vos será por memorial, e o celebrareis como solenidade ao Senhor; nas vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo.”

Êxodo 12:14

A Páscoa da Nova Aliança

No Antigo Testamento, Deus protegeu seu povo de seus inimigos e deu-lhes muitas bênçãos físicas quando eles celebraram a Páscoa. No Novo Testamento, Deus ordena a seu povo que celebre a Páscoa da Nova Aliança para conceder-lhes bênçãos espirituais: o perdão dos pecados, a vida eterna e a promessa de voltar ao reino dos céus.

“No primeiro dia da Festa dos Pães Asmos, vieram os discípulos a Jesus e lhe perguntaram: Onde queres que te façamos os preparativos para comeres a Páscoa? E ele lhes respondeu: Ide à cidade ter com certo homem e dizei-lhe: O Mestre manda dizer: O meu tempo está próximo; em tua casa celebrarei a Páscoa com os meus discípulos.”

Mateus 26:17-18

Jesus Cristo celebrou a Páscoa no Novo Testamento. No entanto, ele não matou um cordeiro nem pintou o sangue nas ombreiras das portas.

“Enquanto comiam, tomou Jesus um pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo. A seguir, tomou um cálice e, tendo dado graças, o deu aos discípulos, dizendo: Bebei dele todos; porque isto é o meu sangue, o sangue da [nova] aliança,”

Mateus 26:26-28

“Este é o cálice da nova aliança no meu sangue derramado em favor de vós.”

Lucas 22:20

Durante a Páscoa da Nova Aliança, Jesus prometeu o perdão dos pecados com seu corpo e sangue. Jesus estabeleceu a Páscoa para o seu povo, os que creem em Cristo. A importância da Páscoa vai além do perdão dos pecados. É o único caminho para receber a vida eterna para entrar no céu.

“Este é o pão que desce do céu, para que todo o que dele comer não pereça. Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém dele comer, viverá eternamente; e o pão que eu darei pela vida do mundo é a minha carne. […] Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tendes vida em vós mesmos. Quem comer a minha carne e beber o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.”

João 6:50-54

Depois que Jesus acendeu ao reino dos céus, os discípulos continuaram a celebrar a Páscoa na Época Apostólica. E hoje, a Igreja de Deus celebra a Páscoa da Nova Aliança como Jesus a estabeleceu há dois mil anos, no décimo quarto dia do primeiro mês do calendário sagrado e na hora certa.

A Luz da Páscoa da Nova Aliança

Por cerca de 2.000 anos, a verdade da Páscoa da Nova Aliança foi escondida. Através do poder de Deus, somos capazes de reconhecer que a Páscoa, que dá a vida eterna àqueles que a guardam, foi restaurada. A Luz da Páscoa da Nova Aliança está brilhando agora para todos os cantos do mundo. E nós temos a oportunidade de cumprir a promessa que Deus nos deu ao derramar seu próprio sangue. Observe a história da Páscoa e entenda sua importância para os cristãos hoje.